A sua empresa é missionária?

      ↺ Voltar

Em momentos de dificuldades macroeconômicas, como o que estamos vivenciando agora, as empresas movidas por uma forte MISSÃO prevalecerão. Se sua missão é forte, você provavelmente sobreviverá. Apenas verifique se todos os membros da sua organização estão conectados a ela para que você possa rapidamente ajustar seu produto às novas necessidades de seus clientes! Vamos nos aprofundar no assunto porque ele é de vital importância para todos nós.

Certa vez, ouvi um sábio conselho de um aluno, o diretor financeiro de um grande grupo, que me disse: – “a Bíblia é o melhor livro de negócios de todos os tempos”. Então, comecei a ler o Livro tentando manter a racionalidade de um homem de negócios. Eu descobri que o Sr. Caetano estava absolutamente certo. Mais do que isso, descobri algo que nos ajudaria ao longo de nossas vidas empresariais.

A raiz de tudo o que fazemos para atrair e manter clientes existe há séculos. Independente de qualquer crença, na Bíblia, você encontra as melhores práticas de liderança, as melhores práticas de entrega, as melhores práticas de recrutamento e as melhores práticas de reuniões motivacionais. Se você busca excelência na experiência do cliente, você também encontrará o que fazer lá.

Com o olhar empresarial, pude perceber que todos os itens listados acima estão conectados à uma única coisa: à MISSÃO. É fato que, ultimamente, as pessoas têm falado mais sobre PROPÓSITO do que MISSÃO. O mundo deu à GERAÇÃO Y um caminho mais fácil para a sua sobrevivência e, assim, pode ter dado a ela a percepção de que devemos preferir olhar para nós mesmos do que para o outro. O “eu” coordena nossas decisões. Como resultado, a importância dos POR QUÊs tornou-se maior do que a importância dos O QUÊs. No entanto, em momentos de crise, como o que estamos vivendo agora, isso está longe de ser suficiente para salvar as empresas. A Geração Y precisa aprender mais e exercer mais os O QUEs se quiser contribuir e sobreviver.

Propósito está conectado à busca por um significado pessoal. Está ligado a atrair as pessoas certas para fazer parte de um grupo, portanto, o propósito está mais conectado ao “eu”. Nesse caso, a decisão por agir se fundamenta mais em meus próprios sentimentos. Com o foco em propósito eu penso: por quê eu vou fazer algo? Em contrapartida, quando tenho foco em MISSÃO, eu penso: “Como posso garantir que o outro se transforme em algo melhor?

A questão principal é: se eu não estiver focado NO QUE FAZER, responderei efetivamente às novas necessidades do cliente? O COVID-19 está mudando as necessidades do cliente! Estou pronto para fazer o que é preciso para mudar rapidamente e me adaptar? Estou pronto para fazer já o que é eficaz e colocar, inclusive, a MISSÃO à frente do meu PROPÓSITO?

Voltando ao conselho do meu aluno, a grande sabedoria empresarial que encontramos na Bíblia, e que pode ajudar as empresas agora, é entender que as pessoas sentem a certeza de Jesus de que ele cumprirá sua missão. Foi isso que atraiu os “clientes” de Jesus. Portanto, nós, como seus “clientes”, não somos atraídos para o mundo Dele por causa do propósito dele, mas somos definitivamente atraídos para o mundo DELE por causa da promessa de cumprimento da MISSÃO. Sua missão nos serve bem, NOS TRANSFORMA, e, assim que a descobrimos, corremos para Ele. O objeto da missão somos nós, que nos transformamos, e não Ele próprio.

A missão forte e difundida entre os colaboradores é a única ferramenta que você precisa para quebrar o paradigma de outra pessoa. Como você pode vender quando não vê o paradigma da sua empresa como a nova melhor ferramenta para resolver o problema do seu cliente? A crise só existe quando você não consegue mostrar ao seu cliente que sua verdade pode e irá mudar a atual situação problemática dele. Quando seus clientes enfrentam uma crise, é seu trabalho ajudá-los a superá-la. Essa é a missão! Eis que assim você supera a crise e vence. Ë importante também lembrar que quando os seus clientes sentem seu compromisso inabalável com a MISSÃO, eles decidem continuar a te pagar em detrimento de outras coisas.

Pergunte-se: o que você pode fazer para transformar seu cliente em algo melhor hoje? Você está pensando e agindo em consonância com sua missão todas as vezes que entra em contato com seu cliente? Ele sente a sua verdade?

Estou certo de que as empresas missionárias serão as que conseguirão sair fortalecidas desse momento. Mais do que nunca, é hora de pensar NO QUE FAZER e agir rapidamente para manter o foco na evolução dos clientes.

Eduardo Pacheco

President CEO & Co-Founder Obvia Education Technologies
Co-Founder Park Idiomas Franchising 
Co-Founder & Co-President Park Education Group